Início » Tâmega e Sousa vai usufruir de intensa programação cultural até meados de 2022

Tâmega e Sousa vai usufruir de intensa programação cultural até meados de 2022

por admin

Iniciativa arranca a 29 de maio com a Orquestra do Norte, Crassh e a companhia espanhola Deabru Beltzak, em Baião e Cinfães

Festival Inventa… forma de aproximar a população das artes e da cultura

O frenesim das expectativas começa a tomar conta do território do Douro, Tâmega e Sousa. As movimentações que derivam do projeto Inventa não tardam a fazer-se sentir. O conceito do Inventa passa por dinamizar os 14 concelhos de uma vasta região habitada por mais meio milhão de pessoas, através de um plano de atividades culturais e artísticas. 

Estas ocorrências de índole artístico-cultural terão um carácter de incidência territorial em espaços naturais, paisagísticos e patrimoniais num conjunto de ações cujo alcance se espera venha a promover, enquanto contributo, uma maior divulgação e promoção do território no seu todo. O arranque da programação, que perdurará ao longo do biénio 2021/2022, acontece já no próximo dia 29 de maio, com um espetáculo que envolve a Orquestra do Norte, a Crassh (percussão, movimento e comédia visual) e a companhia espanhola de teatro de rua Deabru Beltzak, na Ponte de Mosteirô, nas margens do Rio Douro, em plena ponte que junta os concelhos de Baião e Cinfães, a partir das 21h00.

Até ao final de maio de 2022 (um ano, portanto) estão calendarizadas 51 apresentações de diferentes linguagens artísticas e tipologias, que passam pela música nacional, clássica e filarmónica e contemplam ainda espetáculos de circo contemporâneo, performance visual e cruzamentos disciplinares.

A estratégia de programação divide-se em blocos temáticos nucleares: Travessia do Douro e Ciclo de Música ao Luar, que ocorrem entre maio e julho; Filarmonia (Re)visitada e Ciclo Órgão de Tubos, tópicos que decorrem entre novembro e fevereiro de 2022; Música em Comunidade, em janeiro; Ciclo de Circo Contemporâneo no Património, em março; Ciclo de Performance Visual Musicada, em abril; e Projeto Comunitário Intermunicipal, em maio.

O festival Inventa congrega no seu esforço de implementação, enquanto entidades promotoras, a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, a Associação de Municípios do Vale do Sousa – Rota do Românico, a Associação de Municípios do Baixo Tâmega e os Municípios de Cabeceiras de Basto e Mondim de Basto. 

Importa destacar que os concelhos abrangidos pela rede de programação cultural descentralizada que o Inventa consubstancia são múltiplos: Amarante, Baião, Cabeceiras de Basto, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Mondim de Basto, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende.

O grau de abrangência geográfica do projeto, desde logo num território possuidor de valores marcantes no domínio da existência de elementos patrimoniais e arquitetónicos, do ambiente e natureza, bem como do património imaterial das gentes e dos costumes, é o grande vetor para uma afirmação cultural e turística da região.

O Inventa é um projeto promovido no âmbito da operação Cultura em Rede – Tâmega e Sousa, sendo cofinanciado pelo NORTE 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Também poderá gostar de

Escrever um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.